MORDOMO DEU DE COMER A CERCA DE 200 PESSOAS Imprimir
Escrito por Zé Beirão   
Seg, 28 de Julho de 2014 22:51

Festa do Bodo j tem numa caneca uma linda recordao

a linda festa do bodo procissao No ltimo domingo, dia 27 de Julho, a ancestral Festa do Bodo, no santurio da Senhora do Rosrio ou dos Verdes, voltou a acontecer em Barreiro de Besteiros, como h mais de trs sculos e, nos dias que correm, encontrar um mordomo que d de comer a tanta gente, um achado.

a festa do bodo A eucaristia, acompanhada pelo grupo coral da parquia, foi celebrada pelo proco da freguesia, padre Alcides Vilarinho, acolitado pelo padre Francisco Dias, natural de Vale do Porco que, durante 22 anos, foi missionrio no Togo (frica), que fez uma interessantssima homilia.

a festa do bodo barreiro 2 Finda a habitual procisso em volta da capela da Senhora do Rosrio, j totalmente requalificada, foi servido o bodo, farto e suculento, a cerca de 200 pessoas, vindas de vrios pontos da regio e que a famlia Figueiredo, do Barreiro, ofereceu, constitudo por um primeiro prato de arroz de frango e depois um segundo de chanfana, salada, po e vinho.

a festa do bodo barreiro 3 a festa do bodo barreiro 4 Falmos com o chefe da famlia Figueiredo, Jos Carlos Matos Figueiredo, que revelou pormenores dos primeiros tempos da ancestral festividade, num tempo em que havia mesmo muitos pobres, que at pediam pelas portas.

A Senhora do Rosrio, ainda conhecida por mais duas designaes, Senhora do Capuchinho e Senhora dos Verdes.

festa do bodo barreiro 5 festa do bodo barreiro 6 Como antigamente, no tempo dos lavradores que ali tinham as suas mesas de lousa com as suas iniciais, s depois de todos terem comido, que os mordomos tomaram a sua refeio com os seus convidados.

a caneca da festa do bodo Jos Carlos Figueiredo, mostrou-nos uma das canecas com imagens da Senhora dos Verdes, numa edio limitada de 50 peas, para vender a cinco euros, cuja receita revertia a favor das obras do recinto. No futuro, as canecas sero feitas por encomenda, conforme as solicitaes, sendo esta, sem dvida, a primeira lembrana a ser criada par a Festa do Bodo, indicao que, no futuro, no dever ser esquecida.

a festa do bodo barreiro 8 Durante a tarde, actuaram, com muito agrado, o Grupo de Cavaquinhos Moinhos do Tourigo, um grupo de jovens da parquia e, por fim, o Rancho Folclrico de Danas e Cantares Lavadeiras do Mondego e, finalmente, extraco do sorteio a favor das obras

GUAS FRREAS MINERAIS um filo a aproveitar

a festa do bodo barreiro 9 dr. elisio Como sabido, pelo recinto do Bodo, corre, sem cessar, um farto rego de gua fresquinha e cristalina, que nasce, por ali perto, nas faldas da encosta oriental da Serra do Caramulo, cuja nascente, comea por uma tnue fiozinho do precioso lquido.

O mdico, Elsio de Matos, natural do Barreiro, diz que o rego proveniente de um pequeno ribeiro, denominado de guas Frreas, que desagua no Rio do Barreiro, junto ponte do Forno que, por sua vez e com o Ribeiro da Cortiada, deixa as suas guas frescas no Rio Criz, nas imediaes da aldeia do Tarrastal, tambm da freguesia do Barreiro.

a festa do bodo barreiro 10 elisio matos Elsio de Matos, recorda que as guas frreas do Barreiro foram concessionadas a uma empresa constituda por pessoas de Ovar e pelo Dr. Jernimo Lacerda, cuja exportao era feita para o Brasil. Estas guas minerais, estavam indicadas para o tratamento de anemias e para fortalecer o organismo das mulheres grvidas. Quem fez a sua anlise, foi o Laboratrio Charles Le Pierre, de Frana, que identificou a sua componente fsico-qumica, sendo bacteriologicamente pura.

a festa do bodo barreiro 11 aguas ferreas A empresa deixou a produo de guas frreas, cuja concesso foi ainda detida por Horcio de Matos, seu irmo, que tinha a inteno de as continuar a explorar um dia mais tarde, que nunca chegou e, como se sabe, se dedicou ao fabrico de cera e ferragens denominadas de Horgoma..

Antes da fundao da grande estncia sanatorial do Caramulo, Jernimo Lacerda pensou em dar corpo a esse projecto, naquela encosta da serra, que seria uma riqueza para o Barreiro, s que os seus scios no o aceitaram e, da, o seu interesse pelo Caramulo, em 1920.

Para onde vai tanta gua? Foi a pergunta que formulei a Elsio de Matos, olhando para aquele rego farto proveniente da tal nascente de guas frreas. O rego era destinado s regas dos milheirais a jusante do recinto do Bodo, mas como hoje a agricultura foi muito abandonada, essa gua perde-se para o mar.

Ser que algum dia o aproveitamento das guas frreas do Barreiro, voltar a ser feito? O futuro o dir

RECINTO DO BODO COM PTIMAS NOVIDADES EM MELHORIAS

De h um ano a festa do bodo barreiro 7 a esta parte, o recinto da Festa do Bodo recebeu algumas melhorias, na observncia da poltica de alindamento de um espao histrico que muito dignifica uma freguesia solidria para com aqueles que, no dia do bodo, sentem necessidade de uma refeio, pela qual no despendem qualquer euro.

Deste modo, foi aberto um caminho por trs do alpendre onde a missa celebrada, libertando o acesso por dentro do parque. Foi ainda aberto um outro caminho de acesso cozinha, a partir dos parques de estacionamento e limpa toda a vegetao que ali existia. a festa do bodo barreiro 12 obras

Com estas melhorias, ficou o santurio muito mais atraente, tanto mais que, nas traseiras da cozinha, vo ser instalados alguns grelhadores, para dar apoio aos visitantes do parque, em tempo de veraneio, que ali podero fazer as suas refeies, junto fonte de gua corrente fresquinha e do farto regato que ali corre sem parar.