Imprimir
Escrito por Joaquim Duarte   
Seg, 30 de Novembro de 2009 14:08

imagem_001.jpgAldeia milenária, conhecida na História como “”VILLA DE FERRARIOLOS” (ano 976), o seu progresso tem-se feito à custa do querer dos seus habitantes, pois sendo terra de muita emigração, especialmente para os Estados Unidos, cedo começou a ver povoadas de casas alguns terrenos disponíveis, especialmente do lado de Tondela, logo a seguir à ponte do Rio Pavia.

Habitações bonitas, feitas com bom gosto, dão um ar mais alegre a uma terra de tão provecta idade. Com as suas novas construções, que fazem da aldeia um tecido urbano de povoado único em termos de Freguesia, Ferreirós viu alguns melhoramentos realizados, graças ao esforço dos autarcas que serviram a localidade e a Câmara Municipal de Tondela, Concelho a que pertence e delimita com o de Carregal do Sal.

Novas ruas, onde seria impensável há anos atrás fazê-las, dão a Ferreirós um ar de vila verdadeira, mau grado a sua fraca densidade populacional. O seu casario, do lado oriental, em encosta sobranceira ao Dão, está acantonado em declive, como que a debruçar-se sobre a sua margem direita.

É lindo, Ferreirós do Dão!

ferreiros.jpgA sua praia fluvial, é local aprazível e atractivo na época calmosa, só sendo pena que, às vezes, haja alguma poluição. Ali se realizaram, já, algumas provas com barcos pneumáticos anfíbios, de motores potentes, que dão algum colorido acrescido ao local. Também ele, constitui um sítio recatado e de muita paz, para a prática da natação e disso tiram proveito os seus filhos, espalhados pelo mundo que, ano após ano, vêm de visita à sua terra natal matar saudades.

E se falarmos nos peixes do rio, que por lá se apanham com os tais “anzóis de Ferreirós”? Quem não gostaria de saborear alguns, acompanhados com umas batatinhas cozidas com a pele?

A gastronomia faz também o turismo e o turismo não pode viver sem a gastronomia, mas a terra oferece mais alguns acepipes, assim os cafés locais e bares, se dediquem mais a essa especialidade, olhando ao que se pratica em Cabanas de Viriato, com as famosas enguias.

Depois de tudo isto, a pergunta: É tempo de dar mais alguma coisa a Ferreirós. Não tendo acesso à nova estrada Tondela-Carregal do Sal, contudo é mister que a ponte sobre o Dão seja alargada. Contudo, ela foi arruinada pelos carros pesados, que ali passaram mesmo que lá tivesse estado uma indicação de que não podiam fazê-lo.

Se a ponte é romana, melhor será preservá-la e colocá-la para apoio pedonal e, nesta circunstância, pensar-se em construir uma ponte nova em betão armado.

É o mínimo que Ferreirós anseia, já que as três pontes estreitas que sufocam a aldeia, representam, hoje, o anacronismo.

Foi pena que não tivesse sido contemplada com um acesso condigno ao novo troço da ER 230, uma vez que foram as gentes de Ferreirós que, ao longo dos anos, mais reclamaram a estrada.