TONDELA É NOSSA – A CIDADE QUER MAIS LUZ !!!

Por várias vezes, têm existido tentativas de iluminar, com eficiência, a fachada majestosa, da nova Igreja Matriz de Tondela, mandada construir pelo Reitor tondelense, Padre Inácio Pires de Melo, em 1889.

Contudo, tais iluminações acabam por ser descuidadas e, a luz, foi-se, por tempo indeterminado, não obstante os apelos do jornalista, que quer ver a sua terra sempre bem limpa, asseada e bela, com os atavios que justifica e merece.

Quando a vila de Tondela foi elevada à categoria de cidade, em 18 de Dezembro de 1987, numa votação na Assembleia da República, onde eu estive, logo me propus continuar a pugnar, ainda mais, pelo aformoseamento da minha terra, capital de Besteiros e do portentoso  concelho de serra e vale.

Na questão da luz, era do mais deprimente que existia. Uns pobres candeeiros de cimento e lâmpadas de luz frouxa, que muito nos envergonhava. Daí o apelo, em verso, do poeta que escrevia de Nandufe, onde morava, ali à entrada do Bairro Novo, Carlos Jacinto da Silva, nestes termos:

  •  Tondela quer mais luz,
  • Agora que é cidade;
  • É preciso fazer jus,
  • À sua urbanidade.

O tempo passou e, só no dealbar de novo século, começou a ter a iluminação de que carecia, no entanto, ainda, com algumas falhas.

Ultimamente, com as “crises”, foram apagadas muitas luminárias, que farão falta a quem anda de noite, incluindo as pessoas mais idosas, que são sempre as mais vulneráveis.

Com as iluminações de Natal, estava a faltar, sem dúvida, a iluminação da fachada da Matriz, templo altaneiro, que domina todo o vale e é mais um símbolo da cidade.

Já pela FICTON, houve uma tentativa de iluminar a Igreja, mas tudo voltou à “estaca zero”, até hoje, dia 4 de Dezembro, porquanto, há pessoas no terreno a tentar fazer com que a fachada da nossa Igreja Matriz se mostre bonita, mesmo nas noites mais escuras.

Também a cruz luminosa, mandada colocar por mim em 1977, para a qual alguns tondelenses contribuíram por intermédio do (meu) Notícias de Tondela, com o último temporal, caiu, estrondosamente, no adro da Igreja, felizmente sem danos pessoais.

Existe a preocupação para que, também, este problema seja resolvido. Outros monumentos deverão seguir o mesmo destino. Tondela não deve envergonhar-se de mostrar o seu património edificado, pois ele deve orgulhar-nos a todos, porque é muito bonito e valioso.

Por outro lado, a falta de poda das árvores frondosas, leva a que a fachada da Igreja fique ofuscada, tanto os plátanos de fora do adro, como as árvores dos lados da porta de entrada do templo.

É bom que as podas sejam executadas…

                                          ZÉ BEIRÃO

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »