ADMINISTRAÇÃO DO CENTRO HOSPITALAR TONDELA VISEU ENCERRA URGÊNCIA DO HOSPITAL DE TONDELA

A administração do Centro Hospitalar Tondela Viseu anunciou o encerramento da Urgência Básica do Hospital de Tondela, em consequência da pandemia do COVID 19.

O presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António de Jesus, enviou uma carta à ministra da Saúde, onde se mostra preocupado com as consequências do encerramento da Urgência Básica do Hospital Cândido de Figueiredo, de Tondela, que integra o Centro Hospitalar Tondela Viseu.

  • MUNICÍPIO DE TONDELA MUITO PREOCUPADO !!

“Não deixamos de manifestar a profunda preocupação inerente a esta situação. Espelha, de forma inequívoca, uma quebra no sentimento de identidade e de resposta de proximidade deste Hospital, bem como na qualificação do mesmo”, realçou.

A opção da administração foi fundamentada pela falta de profissionais e da respectiva qualificação para dar resposta a um volume crescente de procura desses serviços, o que poderia originar uma rápida propagação da pandemia, com eventuais consequências para a população e para as valências desse Hospital.

No documento enviado à ministra da Saúde, o presidente da Câmara Municipal de Tondela informa que também já partilhou a sua “profunda preocupação” com a Administração Regional de Saúde do Centro, apelando a “uma rápida e urgente intervenção para se minimizarem impactos” e se encontrem “soluções que garantam aos cidadãos  a qualidade do serviço, a proximidade e a confiança no Serviço Nacional de Saúde”.

“Creia, Sra. Ministra da Saúde, que neste momento tudo faremos para ajudar a encontrar soluções que satisfaçam o interesse das populações”, lê-se ainda no documento, denotando que deveriam ter sido implementadas medidas que respondessem a este cenário.

  • UM HOSPITAL SUB-REGIONAL

A urgência Básica do Hospital Cândido de Figueiredo, localizado na cidade de Tondela, além de servir directamente a população do concelho de Tondela, também é o serviço de referência para grande parte do sul do distrito de Viseu, especialmente os concelhos de Carregal do Sal e Santa Comba Dão e algumas outras localidades da zona de Lafões, com incidência em toda a Serra do Caramulo.

Informa-se ainda que o Município de Tondela está a articular com os responsáveis da saúde novas medidas, por forma a que exista uma resposta adequada a eventuais casos que, perante atendimento telefónico na USF de Tondela, possam ter atendimento local e possam ser feitas as recolhas para análise neste concelho.

  • DÚVIDAS… INTERROGAÇÕES !!

Há quem se interrogue sobre esta tomada de posição da actual administração do Centro Hospitalar Tondela Viseu que, até agora, tinha como seu administrador, o médico Cílio Correia, natural de Tondela.

Sem este serviço de urgências, em território tão vasto e que engloba toda a Serra do Caramulo, o Vale de Besteiros e o Vale do Dão, as populações em causa ficarão órfãs de um serviço que lhes dava garantias de socorro imediato, sentindo-se cada vez mais abandonadas perante poderes mais altos que se lhes levantam.

Que vale ao concelho de Tondela ser o município que mais se desenvolve na região se, cada vez mais, o despojam de serviços essenciais, como são as urgências do seu hospital, como foram a PSP, a zona agrária, a maternidade e o Tribunal na sua versão de antes da “Troika”, com o roubo de 2.500 processos levados para o Tribunal de Viseu?

Zona de riscos, por via da existência de uma “estrada da morte”, a que chamam de IP3, fica, a partir de hoje, mais vulnerável. E será que, depois de passada a pandemia, os serviços regressam?