“LIMPINHO… LIMPINHO” !!

ZÉ BEIRÃO  Caiu o pano sobre o Campeonato Nacional da I Divisão, agora I Liga de Futebol Profissional. Uns fizeram a festa, outros choram sobre o “leite derramado”. É sempre assim, no final de cada temporada, seja aqui, seja no Brasil, na África ou em qualquer outra parte do mundo.

Festa de “arromba” fê-la o Sporting, há 19 anos afastado da conquista do campeonato, que essa foi sendo sempre conquistada pelo Benfica e pelo Porto, salvo aquela do Boavista, há 20 anos.

No meio de tantos avanços e recuos dos rivais Futebol Clube do Porto e do Benfica, que, por algumas vezes perderam jogos e empataram, aproveitou o Sporting, que conseguiu o feito de vencer a prova sem derrotas, a duas jornadas do fim, não obstante a única derrota, na penúltima jornada frente ao Benfica.

O Porto, segundo classificado, conseguiu entrar directamente na Liga dos Campeões Europeus, enquanto o clube da águia, em 3.º lugar, terá de disputar o play-off de acesso.

Concretamente sobre o Benfica, dizer que houve muitos jogos, nesta temporada, que nem parecia o Benfica, mas uma equipa composta de muitos jogadores estrangeiros, caríssimos em termos aquisitivos e salariais, muitos deles a não merecerem tão elevados honorários.

Foi uma equipa de milhões que claudicou, várias vezes, frente a equipas de tostões.

E o treinador tem uma certa culpa no cartório. É que ele, atraído por um contrato milionário, deixou a sua zona de conforto no Brasil, para vir para o Benfica, prometendo “arrasar” (as outras equipas) e que os jogadores iam jogar o triplo.

Os jogadores do Benfica não só não jogaram o triplo, nem o dobro, como não “arrasaram”, assim tanto, as equipas suas rivais e até aquelas que, como o Desportivo de Tondela, são pequenas e apenas pretendem manter-se, com um orçamento modestíssimo.

Com efeito, o Benfica não “arrasou” absolutamente nada. O Benfica, como equipa, “arrasou-se” a si própria. O Benfica não atingiu nenhum dos objectivos a que se propôs. Não se “passeou” na Europa, sendo eliminado logo ao 1.º round, não ganhou o campeonato e até perdeu a Taça de Portugal frente ao Braga.

Foi um “arrasanço” absoluto… “limpinho, limpinho” …

TONDELA: MAIS UMA ÉPOCA NA I LIGA

O Clube Desportivo de Tondela, mais uma vez, pela sexta época consecutiva, conseguiu manter-se entre os grandes do futebol nacional, classificando-se na 12.ª posição da tabela, com 36 pontos, deixando para trás, equipas como o Boavista, com igualdade de pontos, o Portimonense, com 35, o Marítimo, com os mesmos 35, o Rio Ave, com 34, obrigado a disputar a liguilha com o Arouca da II Liga, com os dois jogos já realizados e que perdeu por 5-0 no conjunto, descendo à II Liga com o Farense e o Nacional da Madeira. Juntam-se à I Liga, o Estoril, o Vizela e o Arouca.

No início da temporada, o actual técnico, também espanhol, como o seu antecessor, deixaria claro que não queria que a equipa passasse pelo sufoco que passou em temporadas anteriores, em que fugiu à despromoção por uma “unha negra”.

A verdade, é que o Desportivo de Tondela na temporada finda, intercalou excelentes exibições, com más prestações da sua equipa, em que o sector recuado, a defesa, foi, sem dúvida, a que mais contribuiu para um certo insucesso em muitos jogos, cotando-se como a segunda defesa mais batida do campeonato.

A melhor época de sempre, foi durante a estadia do Pepa, com 38 pontos, técnico esse, que acabou de levar o Paços de Ferreira à Europa, ao conquistar o 5.º lugar na tabela com 53 pontos.

O Desportivo de Tondela, olhando a certos jogos em que perdeu pontos com alguma infantilidade, o que, a não acontecer, poderia ter ido bem mais longe na classificação, contudo, com algum sofrimento, conquistou o direito de participar pela sétima vez consecutiva, na Liga maior do futebol português e isso, por si só, é um feito notável, num ano em que comemora, já a 6 de Junho, os seus 88 anos de existência ele, que nasceu da fusão dos históricos Tondela Futebol Clube (1925) e Operário Atlético Clube (1931).

Honra ao mérito. Honra e glória para a nossa terra, a nossa cidade e o nosso concelho. Honra para um clube que é o único, actualmente, a disputar, no centro do país, um campeonato tão importante como a I liga.

É um feito brilhante que deve ser devidamente reconhecido, a nível local, regional e nacional.

Parabéns, Clube Desportivo de Tondela. E a que a nova conquista seja a conclusão do Centro de Estágios TONDELA CAMPUS ou ACADEMIA DO TONDELA SAD, no mais curto espaço de tempo, para o maior prestígio de um honrado emblema, que muito longe leva o nome da jovem e pequena cidade de Tondela, que tanto aspira a ser cada vez maior e mais desenvolvida.