TONDELA, VOUZELA E OLIVEIRA DE FRADES pela recuperação das aldeias serranas

O projecto de recuperação de 11 aldeias serranas dos concelhos de Tondela, Vouzela e Oliveira de Frades, foi apresentado em Tondela, no âmbito do projecto “Valorizar” da CIM Viseu Dão Lafões, num investimento estimado em 1,8 milhões de euros

 

Os autarcas dos três concelhos envolvidos – José António de Jesus (Tondela), Paulo Ferreira (Oliveira de Frades) e Rui Ladeira (Vouzela) – a CIM Viseu Dão Lafões, representada pelo seu presidente Rogério Abrantes  e pelo secretário Nuno Martinho e o presidente da Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, acreditam que a candidatura deverá ser aprovada para promover o desenvolvimento destes territórios, contribuindo para criar sinergias entre os três municípios e esbater assimetrias.

Paulo Ferreira, escalpelizando pormenores técnicos, diz tratar-se de uma “mais-valia” por permitir reduzir as assimetrias dentro do próprio concelho. “Serão projectos como este que irão permitir capitalizar pessoas, valorizar uma das regiões mais bonitas do nosso território, potenciando uma nova dinâmica para o fenómeno do Caramulo”.

Por seu turno, José António de Jesus diz que é fundamental “agregar e potenciar o que existe para lhe dar escala”. E, reconhecendo que a Serra do Caramulo já possui produtos de excelência, sublinhou que falta “criar uma rede que potencie uma escala agregadora”.

“Este é o primeiro objectivo deste projecto, alavancando a partir daí a disseminação de outras áreas de crescimento e desenvolvimento”, acrescentou, admitindo que, pela sua importância “este processo não se deve esgotar nas aldeias prioritárias. Queremos ramificar e consolidar um produto estruturado da Serra do Caramulo”, destacou o autarca deixando o mote para o seu colega de Vouzela que entende que esta marca Caramulo pode ser um facto agregador de uma realidade regional e que, infelizmente, no seu concelho ainda está demasiado marcada pelos fogos de 2017.

VALORIZAR AS ALDEIAS E PRODUTOS

O projecto assenta em três conceitos fundamentais, como sejam, a criação de uma rede de aldeias serranas com identidade e características distintivas que sirvam de base para a criação de programas turísticos, essencialmente nas vertentes de walking (cinco dias a pé pelo território) e cycling (três dias de bicicleta); garantir o envolvimento da população desde a fase inicial e utilização dos recursos e serviços turísticos existentes: forte componente de capacitação e estímulo ao investimento privado.

Quanto aos conceitos-chave deste projecto, os seus promotores apontam as economias de montanha, a biodiversidade de conservação da natureza, o turismo responsável e a competitividade, envolvendo ainda as várias entidades existentes no território.

Segundo Pedro Pedrosa, sobre o projecto “Aldeias da Serra da Serra do Caramulo”, de entre os principais objectivos, estão delineados a criação de uma rota de aldeias da Serra do Caramulo, criando uma nova marca turística de marketing territorial; a criação de dois projectos âncora como sendo a grande rota pedestre de interligação da rede de aldeias e a criação de três percursos cicláveis de ligação entre as ecopistas do Dão e do Vouga, Serra do Caramulo, vilas de Vouzela e Oliveira de Frades e cidades de Tondela e de Viseu. E ainda a recuperação arquitectónica das aldeias; criação de produto turístico; estimular a economia de montanha e fomentar o turismo responsável e sustentável.

A intervenção nas aldeias, vai ser ao nível da recuperação de casas, do mobiliário urbano, sinalética, limpeza, assim como a organização de eventos, produção de guia turístico, participação em férias, entre muitas outras acções de actividade.

ALDEIAS DO CARAMULO A INTERVENCIONAR

Adsamo, Cambra, Couto e Vila Nova (Vouzela), Bezerreira e Covelo de Arca (Oliveira de Frades) e Carvalhal da Mulher, Jueus, Teixo e S. João do Monte (Tondela).

Em tempo de perguntas e respostas, José António de Jesus, disse que outras aldeias da serra irão, igualmente, receber melhorias, uma vez que são pontos de passagem para as aldeias a intervencionar e que, igualmente, justificam usufruir de melhores condições de vida. 

NOTA: na foto, a bela aldeia de Jueus (Guardão)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »