BENFICA CLAUDICOU FRENTE AO TONDELA NA LUZ

O técnico do Benfica, Rui Vitória, falhou em toda a linha, ao gerir (mal) a sua equipa, não só frente ao Desportivo de Tondela, como na recepção ao Porto. Erros fatais que lhe custaram a conquista do “penta”

Mas, o que nos interessa analisar neste encontro que o Benfica deveria ter ganho, é o menosprezo de Rui Vitória perante os beirões que, ao deixar de fora dos convocados alguns titulares, pagou cara a sua falta de rigor, como já o tinha feito no jogo do título com o Porto, ao querer impor o empate ao adversário, em vez de tudo fazer para chegar à vitória e isso não se compadeceu com o desacelerar da equipa tirando pedras essenciais que foram segurando o resultado e que, sem elas, ficou o caminho aberto para a vitória do “dragão”.

Esta derrota, inesperada, neste último sábado, na Luz, fez saltar de contentes os rivais do Benfica – um, porque tem tudo mais facilitado para vencer o campeonato e o outro, porque pode chegar ao segundo lugar e relegar os encarnados para terceiro ou mesmo quarto, com o natural adeus aos milhões que o 2.º lugar na tabela classificativa dá nas provas europeias.

Sonho do “penta” virou pesadelo

Perante a ineficácia manifesta do Benfica, que marcou primeiro, logo aos 12 minutos, aproveitou a equipa do Clube Desportivo de Tondela que, não obstante a diferença abismal de orçamentos, não teve medo de jogar na Luz, perante mais de 50 mil espectadores e, antes do intervalo, já tinha virado o marcador, fazendo arrefecer os ânimos dos adeptos da casa, não querendo acreditar no que se estava a passar.

O estádio gelou, quando Tomané, aos 81 minutos, aumenta a contagem para o Tondela, deixando o resultado em 3-1 a seu favor. Nem mesmo o golo de Sálvio, aos 90+2’ atenuou o desespero dos benfiquistas. O sonho do “penta” virou um pesadelo para os encarnados.

Contudo, é de dizer que foram muitas as jogadas de perigo criadas pelo Benfica, mas Cláudio Ramos (gigante) mostrava-se imune ao poder de fogo do Benfica. Defendeu tudo com os pés e com as mãos, defendeu a baliza como se a sua vida dependesse disso.

A arbitragem até ajudou o Benfica em certa medida, pois a equipa auriverde ainda fez um 4.º golo “limpinho”, mal anulado por hipotético jogo perigoso de Miguel Cardoso quando, na verdade, foi o Luisão quem tinha o pé mais alto e aqui não houve VAR. Cervi deveria ter sido expulso por entrada violenta e Rúben Dias fez falta claríssima, que não foi sancionada pelo árbitro e merecedora de cartão amarelo.

Tondela bate recordes anteriores

Com este resultado, o Tondela chegou aos 38 pontos que, esta época são record e lhe permitem a manutenção mesmo antes das três últimas jornadas, depois da última vitória em casa frente ao Desportivo da Vila das Aves (3-0).

Fica bem de ver que o Tondela, com mais duas ou três vitórias, ficaria próximo das provas europeias.

Trata-se de um feito histórico que deve ser saudado por todos os tondelenses e beirões, já que é a única equipa na prova nas regiões da Beira Alta, Beira Baixa e Beira Litoral e até do Ribatejo.

  • JOGO: Estádio do Sport Lisboa e Benfica, em Lisboa (sábado, 28/4/2018)
    ASSISTÊNCIA: 50547 espectadores
    ÁRBITRO: Nuno Almeida
    AO INTERVALO: 1-2
    MARCADORES: Pizzi (12’), Miguel Cardoso (30’ e 39’), Tomané (81’) e Salvio (90+4’).
    ACÇÃO DISCIPLINAR: cartão amarelo a F. Cervi (32’), Jorge Fernandes (45+1’), Luisão (54’), Tomané (61’) e Cláudio Ramos (69’). Expulsão do treinador do CD Tondela, Pepa (70’), por contestar erros de arbitragem.
  • SL Benfica 2
    Bruno Varela, André Almeida, Luisão, Ruben Dias, Grimaldo, Samaris, Pizzi, F. Cervi, Zivkovic, Rafa e Raul
    SUBSTITUIÇÕES: André Almeida por Douglas (30’), F. Cervi por Salvio (45’) e Zivkovic por Seferovic (62’)
    SUPLENTES NÃO UTILIZADOS: Svilar, Keaton, D. Gonçalves e J. Carvalho
    TREINADOR: Rui Vitória
  • CD TONDELA 3
    Cláudio Ramos, David Bruno, Jorge Fernandes, Ricardo Costa, Joãozinho, Bruno Monteiro, Hélder Tavares, Claude Gonçalves, Miguel Cardoso, Tyler Boyd e Tomané
    SUBSTITUIÇÕES: Miguel Cardoso por Juan Delgado (80), Tomané por Heliardo (88) e Hélder Tavares por Joca (90+2)
    SUPLENTES NÃO UTILIZADOS: Ricardo Janota, Fahd Moufi, Sulley e Harramiz
  • TREINADOR: Pepa

Para a história fica o grito de revolta dum grupo e dum clube tantas vezes insultado e que apenas conseguiu demonstrar neste jogo o que teve em todos os outros: seriedade, brio e profissionalismo. 
 Sábado o CD Tondela recebe o Vitória de Guimarães, último jogo no João Cardoso esta temporada (18h15).

  • RESULTADOS DA JORNADA 32.ª
  • Rio Ave – Chaves 2-2
  • Setúbal – Feirense 0-2
  • Belenenses – Braga 0-1
  • Benfica – TONDELA 2-3
  • Boavista – P. Ferreira 1-0
  • Guimarães – Moreirense 1-0
  • Marítimo – Porto 0-1
  • Portimonense – Sporting 1-2
  • Aves – Estoril 1-0
  • PRÓXIMA JORNADA 33.ª
  • Moreirense – Aves
  • Sporting – Benfica
  • Braga – Boavista
  • Porto – Feirense
  • TONDELA – Guimarães
  • Belenenses – Portimonense
  • Chaves – Marítimo
  • Estoril – Setúbal
  • Ferreira – Rio Ave

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »