CD TONDELA A UM PONTO DA ”LINHA DE ÁGUA” depois de mais uma derrota caseira frente aos “dragões”…

O campeonato do Clube Desportivo de Tondela é o campeonato dos clubes ditos mais “pequenos”, aqueles que, normalmente, ficam do meio da tabela para baixo e nunca o será com os “grandes”. E, daí, quem sabe?

Na última sexta-feira, dia 22 de Fevereiro, o Clube Desportivo de Tondela perdeu mais um jogo em casa, desta vez frente ao Porto (0-3), depois de ter perdido em Moreira de Cónegos, perante um Moreirense apostado em fazer história na I Liga, ao querer entrar na Liga Europa.

Era, perante o Moreirense e os outros clubes da sua igualha, que o Desportivo de Tondela teria de terçar armas e tudo fazer para amealhar os pontos necessários para fugir aos últimos lugares da tabela (que levam à despromoção) e, não os conseguindo, poderá passar a ser, não uma equipa de “primeira”, como querem os dirigentes da equipa auriverde, mas de “segunda”, o que, naturalmente, não querem os tondelenses que gostam do futebol, isto é, aqueles que são sócios, que pagam as suas quotas e os que assistem aos jogos, de quinze em quinze dias, no Estádio João Cardoso, sejam das aldeias, das vilas ou da cidade.

Uma notícia ou informação veiculada depois do jogo com o Moreirense, foi a de que, em Moreira de Cónegos, os atletas auriverdes jogaram com “medo”, para não serem “amarelados”, por via de poderem jogar contra o Porto.

Se assim aconteceu, foi errado. Em Moreira, o CD Tondela teria de mostrar que quer assegurar, o mais cedo possível, a permanência e não jogar sem alma, a pensar no jogo com um “grande” e assim acabou de perder os dois e nem um pontinho amealhou.

Neste jogo com o líder do campeonato, o CD Tondela foi uma equipa amorfa, com falhanços incríveis a nível defensivo, onde os experientes “dragões” encontraram todas as facilidades para “facturar”. Foi assim em dois golos, já que o 2.º, foi uma “bomba” de Óliver Torres, em livre de fora da área, a que Cláudio não pôde obstar. E, no primeiro golo, tudo também facilitado, para Pepe, à vontade, abrir o activo.

Então o 3.º golo foi uma autêntica “antologia” do defesa do lado da bancada norte que, em vez de cortar o esférico para canto, cabeceia tão mal na direcção da baliza, que a bola foi ter com Herrera, que não se fez rogado para atirar às malhas e fixar o resultado, aos 74’, antecipando a festa da vitória portista.

No próximo encontro, o Tondela desloca-se ao estádio do Nacional da Madeira e, no jogo seguinte, tem mais uma deslocação, desta vez ao campo do Vitória de Setúbal.

Não está fácil para quem ainda não conseguiu assegurar a permanência…

  • JOGO: Estádio João Cardoso, em Tondela
  • ASSISTÊNCIA: Cerca de 4.000 espectadores
  • ÁRBITRO: Luís Godinho (Évora)
    DISCIPLINA: Cartão amarelo a Ricardo Alves (19′), Pepe (72′);
    MARCADORES: 0-1 Pepe, 11′; 0-2 Óliver Torres, 52′; 0-3 Herrera, 74′
  • TONDELA, 0 
  • Cláudio Ramos, Moufi, Ricardo Alves, Ricardo Costa, Joãozinho, Jaquité (João Pedro, 42′), Bruno Monteiro, Sergio Peña, Juan Delgado (Murillo, 68′), Tomané, Xavier (Pité, 59′).
    TREINADOR: Pepa.
  • FC Porto, 3
  • Casillas, Manafá (Maxi, 68’), Felipe, Pepe, Alex Telles, Óliver Torres, Herrera (André Pereira, 75’), Otávio, Jesús Corona, Adrián Lopez e Fernando Andrade (Brahimi, 70’).
  • TREINADOR: Sérgio Conceição.
  • RESULTADOS DA JORNADA 23.ª
  • Portimonense – Aves 1-1
  • Braga – Belenenses 0-3
  • Setúbal – Guimarães 1-1
  • TONDELA – Porto 0-3
  • Boavista – Rio Ave 1-0
  • Santa Clara – Nacional 2-0
  • Feirense – Moreirense 1-3
  • Marítimo – Sporting 0-0
  • Benfica – Chaves 4-0
  • PRÓXIMA JORNADA (24.ª)
  • PortoBenfica
  • Rio Ave – Braga
  • Sporting – Portimonense
  • Aves – Boavista
  • Belenenses – Feirense
  • Chaves – Santa Clara
  • Guimarães – Marítimo
  • Moreirense – Setúbal
  • Nacional – TONDELA (*)
  • (*) sábado 2 de Março às 15h30