COIMAS PESADAS para quem não limpa as matas queimadas pelos incêndios

Um ano depois da tragédia dos incêndios de Outubro de 2017, que dizimaram as florestas na região centro do país, muitas, imensas árvores continuam de pé, mesmo que exista uma lei que prevê multas pesadas para quem não fez a devida limpeza, para que novas tragédias sejam impedidas.

Uns cortam, outros não cortam, sinal de que as autoridades competentes têm feito vista grossa a este estado de coisas. Noutros casos, os madeireiros comprometem-se a fazer a limpeza, mas o que é certo é que ela não surge, talvez porque tenham muitas matas para limpar.

A lei é só uma. As matas têm que ser limpas e não podem estar à espera de quem promete limpar e não limpa.

  • LIMPEZA: 25 metros
  • para cada lado das estradas

A Câmara Municipal de Tondela acaba de notificar, através de edital competente, todos os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades detentores de terrenos situados numa faixa mínima de 25 metros das vias rodoviárias, em áreas atingidas pelos incêndios florestais, para removerem, no prazo de 10 dias, os materiais queimados nos incêndios.

O incumprimento desta obrigação pode resultar em contraordenação punível com coima de 140 a 5 mil euros, no caso de pessoa singular e de 800 a 60 mil euros, no caso de pessoas colectivas.

As coimas são pesadas e, por isso, é desejável que todos os proprietários de terrenos queimados, procedam, com urgência, ao abate e remoção de todos os materiais lenhosos que, em tempo seco e quente, podem dar origem a novos focos de incêndio e causarem mais prejuízos, a somar aos que já sofreram.

EUCALIPTO virou árvore infestante

Como as mimosas ou as austrálias, depois dos últimos incêndios, os eucaliptos multiplicaram-se, inusitadamente, através das sementes caídas e estão a crescer como em qualquer seara de trigo ou centeio, constituindo um novo barril de pólvora a sua proliferação.

 

Deste modo, para que a situação não ganhe contornos inimagináveis, a atenção das gentes e das autarquias locais, deve redobrar, instando e ajudando a destruir essa flora que se propaga, rapidamente, em todas as zonas ardidas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »