NO 32.º ANIVERSÁRIO DA ELEVAÇÃO DE TONDELA A CIDADE MUNICÍPIO ANUNCIA IMPLANTAÇÃO DE UM MONUMENTO AO OLEIRO

José António de Jesus no Dia da Cidade

No dia 18 de Dezembro, Tondela assinalou os 32 anos na categoria de cidade, altura em que o Município anunciou a construção do monumento ao oleiro e outros melhoramentos

A plateia no momento musical com Maria João Silva

José António de Jesus falava no Mercado Velho, perante autarcas e outras personalidades convidadas, numa cerimónia que decorreu ao final da tarde do dia 18, no Mercado Velho de Tondela, perante uma “casa cheia” e que nem o frio e o mau tempo afastaram aqueles que, de algum modo, gostam da cidade que, de há 30 anos para cá, nunca mais parou de progredir e tentar ser melhor do que o que era antes, para toda a gente, seja para os tondelenses, seja para todos aqueles que preferiram apostar nela e aqui refazerem a sua vida, em terra de sucesso e de bem-estar…

Durante a cerimónia, o presidente da Câmara sublinhou que Tondela é uma cidade forte, mas também um concelho grandioso.

“A cidade espelha a dinâmica empreendedora do concelho e uma parte não se sobrepôs à outra. Certamente que a ambição alimenta-nos a alma, numa permanente motivação de criar mais condições de bem-estar, de atracção de residentes, principalmente provenientes de outros concelhos que aqui encontram trabalho qualificado”, acrescentou.

Ao longo da sua intervenção, José António de Jesus destacou a marca identitária de um concelho que valoriza as suas instituições e que ganhou importância cultural no panorama nacional através da ACERT, ou no plano nacional desportivo, através do CD de Tondela na I Liga.

“Quem ousaria pensar, há 32 anos, que Tondela chegaria onde está?”, questionou…

  • CENTRO TECNOLÓGICO E FRENTE RIBEIRINHA

JA Jesus anuncia melhoramentos

O presidente da Câmara Municipal de Tondela aproveitou ainda para elencar as obras que irão arrancar brevemente, nomeadamente o Centro Tecnológico e a Frente Ribeirinha, a par da intervenção em edifícios degradados, que visam consolidar uma bolsa de habitação para acolher jovens empreendedores.

“Vamos colocar em concurso público no início do ano outros investimentos: a ligação da Av. Sá Carneiro ao estacionamento do Estádio João Cardoso, e consequentemente, ao cemitério e 2ª fase à avenida das Comunidades, a expansão do cemitério Municipal e a reabilitação da residência paroquial”, avançou.

José António de Jesus, no seu discurso do Dia da Cidade, lembrou, ainda, que Tondela é a projecção da sua cidade. “Mas também é verdade que a cidade espelha a dinâmica empreendedora do concelho… uma parte não se sobrepôs à outra”, sustentou.

O autarca referiu que se a autarquia não tivesse investido em projectos de investimento, tendentes à fixação de população nas restantes freguesias, vilas e aldeias, “porventura a cidade até podia ser maior, mas o concelho seria mais pobre, porque não saberia tirar proveito dos seus recursos e potencialidades.

Esse é o paradigma de desenvolvimento do nosso concelho”, esclareceu.

  • “QUEREMOS UMA CIDADE FORTE, MAS TAMBÉM
  • UM GRANDIOSO CONCELHO”

José António diz querer desenvolver o concelho de forma integrada, quando afirma “queremos uma cidade forte, mas também um grandioso concelho”.

Plateia do Mercado Velho

Para si, “a ambição alimenta-nos a alma numa permanente motivação de criar mais condições de bem-estar, de atracção de residentes (principalmente provenientes de outros concelhos que aqui encontram trabalho qualificado)” e, daí, a permanente estratégia de afirmação na nossa marca identitária, que valoriza as nossas instituições, o seu trabalho solidário, autónomo e independente”.

O autarca enfatiza e valoriza, o voluntariado e a proximidade que tantas destas instituições prestam e que promove mais coesão social e agregação de sinergias.

Contudo, importava deixar claro que, igualmente valorizava a importância da cultura, “espelhada numa das mais prestigiadas instituições, que coloca Tondela no centro da criatividade, onde os sonhos crescem a par da materialização de tantas iniciativas que projectam a fruição cultural, o contacto com novos mundos, as vivencias onde a modernidade se entrecruza com a tradição, com o saber e com a investigação” e aqui referia-se à ACERT.

Mas também o desporto não foi esquecido, quando refere a sua força mediática, “colocando Tondela na I Liga, no primeiro plano nacional, não só no futebol profissional, mas também na formação e diversas modalidades. Quem ousaria pensar, há 32 anos, que Tondela chegaria onde está?”.

O autarca teve ainda oportunidade de citar a qualidade formativa desta cidade, nos diversos graus de ensino, incluindo o profissional, com instalações a serem modernizadas, a requalificação da Escola Secundária de Tondela, com mais de 30 anos, onde se investiram mais de 800 mil euros, numa 1ª fase, e onde se perspectiva investir outra importante fatia de 700.000 na requalificação dos dois blocos em falta, áreas de espaço exterior, estacionamento, vedação e área desportiva, incluindo a renovação do campo de relva sintetiza existente.

  • REABILITAÇÃO URBANA E BOLSA DE HABITAÇÃO

Nova rua/avenida por aqui entre o Hotel e o novo imóvel

A reabilitação urbana, centrada no Centro Tecnológico, cujo visto está a ser ultimado junto do Tribunal de Contas, ou a frente Ribeirinha, que finalmente feita a escritura da última parcela que fazia depender o lançamento da obra e que agora será lançada em concurso público no inicio do ano, ou a intervenção em edifícios degradados, visando consolidar uma bolsa de habitação para acolher jovens empreendedores ou que possam integrar as dinâmicas das incubadoras de empresas a enquadrar no centro tecnológico.

Mas igualmente a ARU constituída, que permitirá fortíssimos incentivos fiscais, (no IMT, IMI, IVA e outros instrumentos…) para quem desejar reabilitar o parque habitacional, podendo destina-lo a mercado de arrendamento, ou investir em comércio de proximidade, dinamizando este sector económico.

Como se referem outros investimentos a colocar em concurso público no início do ano – a ligação da Av. Sá Carneiro ao estacionamento do Estádio João Cardoso, e consequentemente ao cemitério e (2ª fase) à Avenida das Comunidades, ou a expansão do Cemitério Municipal, ou o apoio para a reabilitação da residência/notariado paroquial (casa do Sr. Reitor, como é conhecida).

  • “TONDELA É DE TODOS E ESPERA POR TODOS”

A par destas áreas, como referiu José António de Jesus, “é indiscutível o impulso sentido na construção, em novos loteamentos/urbanizações (ou o avanço de outras que estavam paradas). E um desenvolvimento sem paralelo neste sector, sinal da atractividade territorial, muito em consequência da forte e crescente dinâmica empresarial e do emprego qualificado aqui existente, a que se associam as condições de qualificação do território e dos serviços prestados”.

A par destas obras de grande dimensão, como disse, “bem sabemos que algumas de menor dimensão também, podem agora ser desenvolvidas, como seja a requalificação de algumas artérias da cidade, ou a melhoria de alguma iluminação pública, sendo disso exemplo, hoje, a revisão dos troços da Av. Adelino Amaro da Costa, Tomaz Ribeiro, Bombeiros Voluntários, Sá Carneiro, e que se irá prolongar pelas entradas da cidade e outras vias de maior densidade”.

“Tondela, é de todos e espera por todos. Numa visão inclusiva, de participação e partilha, sabendo que só o positivismo e a coragem podem ser o mote de agregação e força”, concluiu.

  • A CIDADE VAI TER UM MONUMENTO AO OLEIRO

Miguel Torres cita concurso de ideias

Antecedendo o discurso do presidente da Câmara, ao vereador da Cultura do Município, Miguel Torres, coube fazer a apresentação do concurso de ideias para o monumento ao oleiro, que o Município de Tondela lança em parceria com a Rede de Cidades Cerâmicas e a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

  • Com este concurso, a Câmara Municipal de Tondela “pretende criar uma ideia para uma instalação permanente que seja um marco da Olaria Negra de Molelos, na rotunda junto à saída do IP3 (Pingo Doce)”, esclareceu o vereador.
  • Miguel Torres explicou que este elemento deverá relacionar o passado com o futuro, homenageando oleiros de ontem e de hoje.
  • As equipas deverão ser multidisciplinares e com um mínimo de dois participantes, incluindo sempre na sua composição um artista plástico.
  • As propostas podem ser submetidas até dia 30 de Março do próximo ano, sendo os prémios divulgados e atribuídos até dia 31 de Maio de 2020.
  • O primeiro prémio arrecada 2 mil euros, o segundo prémio mil euros, podendo ainda ser atribuídas até cinco menções honrosas.

 


Traduzir »