PRESIDENTE DA REPÚBLICA INAUGURA CENTRAL DE TRIAGEM NO PLANALTO BEIRÃO

????????????????????????????????????
Presidente da República no meio

O Presidente da República apelou no dia 14 de Outubro a que todos os cidadãos sejam responsáveis no cumprimento das regras sanitárias e destacou que “se houver uma parte que não queira fazer” será “um todo que sofrerá”.

Recepção ao presidente...

O Presidente da República falava ao final do dia, em Barreiro de Besteiros (Tondela), na inauguração da nova Central de Triagem de Papel e Cartão, que tinha ardido nos incêndios de Outubro de 2017 e, fazendo a analogia “da força e da união da região” para a recuperação três anos depois, Marcelo Rebelo de Sousa disse que, na questão da pandemia, “tem de ser todo o país a unir-se”.

Marcelo Rebelo de Sousa falou após o anúncio do primeiro-ministro, António Costa, da entrada em vigor às zero horas de quinta-feira (15/10) da situação de calamidade, que se traduz num agravamento da situação de contingência que agora termina e que acarreta novas medidas sociais.

  • MARCELO DEFENDE O REFORÇO DO PODER LOCAL
Marcelo saúda os trabalhadores…

“Visa, obviamente, impedir a necessidade de avançar para graus superiores de intervenção no domínio da vida e da saúde. É fundamental que assim seja. É fundamental para a vida dos portugueses, é fundamental para o emprego dos portugueses. É fundamental para o salário, para a situação das famílias, das empresas e de comunidades”, justificou.

Neste sentido, o Presidente da República avisou que “isso implica que cada qual seja responsável por si próprio e essa responsabilidade por si própria significa que nestes tempos vizinhos saiba ir mais longe do que já foi, no sentido de cumprir a sua função para que a sociedade não pare, a economia não pare”.

A descentralização foi, a par da pandemia de covid-19, um dos temas de destaque do Presidente da República em Tondela, perante uma plateia repleta de autarcas da região, onde defendeu “o reforço do poder local”.

Marcelo discursa…

Um encontro que Marcelo Rebelo de Sousa desejou que aconteça “no fim da primavera ou começo de verão de 2021” e onde se “possa dizer que estão a ser dados passos de recuperação da crise económica e social”.

Para além do discurso do Presidente da República, no encerramento da sessão, destacar os dois excelentes discursos do presidente do Município de Tondela, José António de Jesus, onde a estrutura foi implantada para servir 19 concelhos de três distritos (Viseu, Guarda e Coimbra) e do presidente da Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB) Mário Loureiro, destacando-se, ainda, as intervenções de Ana Abrunhosa, actual Ministra da Coesão Territorial e a coordenadora da CCDRC, Helena Azevedo, também representante do POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos) do Portugal 2020

  • O AMBIENTE É UMA CAUSA SOCIAL TRANSVERSAL ÀS SOCIEDADES

José António de Jesus, num vigoroso discurso, salientou a enorme operação de recuperação nos últimos três anos nas instalações destruídas em 2017.

O autarca deixou claro que o ambiente é uma causa social, transversal às sociedades e a nossa responsabilidade é garantir que as gerações vindouras tenham as melhores condições de vida, acima de tudo, num planeta que desejamos mais sustentável.

Por seu turno, o presidente da Comissão Executiva da AMRPB, Mário Loureiro, lembrou o rasto de destruição que ultrapassou os 6 milhões de euros, que os incêndios de 2017 causaram, numa altura em que estava a ser iniciada a execução de uma operação importante, para a qualidade e a quantidade de recolha selectiva do Planalto Beirão.

  • INVESTIMENTO SUPERIOR A 19 MILHÕES DE EUROS

Trata-se de um projecto co-financiado através do Fundo de Coesão da União Europeia no âmbito do PROSEUR. “Esta operação visa a maximização da gestão dos resíduos recicláveis de embalagens num valor de investimento superior a 19 milhões de euros que se encontra hoje concretizada física e financeiramente em mais 80%”, disse Mário Loureiro e continuou: “Esta candidatura permitiu a duplicação dos ecopontos  de superfície com 1545 novas baterias, a construção de cerca de 200 ilhas ecológicas, a duplicação da frota de viaturas para o transporte de resíduos valorizáveis, um trabalho consumado em paralelo com a sensibilização ambiental que já contribuiu para que o Planalto Beirão registasse também em 2019 uma retoma de 30 quilos de embalagens recicláveis por cada habitante”.

A nova Central de Triagem de Papel e Cartão, ora inaugurada, está em linha com a maximização da gestão de resíduos recicláveis e permitirá um processamento de cerca de 5.000 toneladas de resíduos de papel e cartão recolhidos selectivamente. Terá também uma área de armazenamento de diversos fluxos de fileiras de resíduos recicláveis.

A Ministra da Coesão Territorial referiu que, “ao olharmos hoje para esta nova Central de Triagem de Papel e Cartão e vemos muito mais do que um edifício e equipamentos com uma função muito nobre, numa economia que é cada vez mais respeitadora dos recursos do nosso planeta”.

  • INCÊNDIOS DE 2017 DEIXARAM PROFUNDAS CICATRIZES

Ana Abrunhosa considerou que “os incêndios de 2017 deixaram em todos profundas cicatrizes, três anos depois, ainda estamos a completar o esforço de nos levantarmos, numa região em que todos fomos chamados a apoiar cerca de 400 empresas que viram os seus negócios destruídos, actividades que foram forçadas a parar, de empregos que estiveram por um fio, fizemos tudo para reerguer esses negócios porque eles eram o modo de vida e subsistência de tantas famílias”.

Segundo a ministra, nos incêndios de Outubro de 2017, arderam cerca de 1.500 habitações, 850 foram consideradas permanentes, a maioria está hoje reconstruída.

Para sai, aqueles momentos difíceis, “foram momentos de superação, em que os governos, os autarcas, as entidades públicas e privadas, se articularam na resposta aos problemas que eram muitos”.