PSD DE VISEU DIZ QUE ANÚNCIO DE REFORÇO DE CAMAS NO HOSPITAL É APROVEITAMENTO POLÍTICO

O presidente da concelhia do PSD de Viseu acusou hoje o presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV) de ser “comissário político” do PS, ao anunciar um reforço nos cuidados intensivos, o que considera “aproveitamento político”.

Numa nota de imprensa, João Paulo Gouveia refere que, depois de, em Novembro de 2020, “o Governo ter anunciado o reforço de 202 camas nos cuidados intensivos”, o presidente do conselho de administração do CHTV “vem hoje anunciar, com pompa e circunstância, a criação de mais 12 camas naquela unidade (Hospital S. Teotónio), mas só no final do ano”.

“É um claro aproveitamento político. As condições deficitárias do hospital nesta matéria foram detectadas com a pandemia, já em 2020, e a resolução do problema já tinha sido prevista há meses”, afirma João Paulo Gouveia.

Na segunda-feira, o CHTV anunciou, através de um comunicado de imprensa, o início da ampliação do Serviço de Medicina Intensiva, que passará a ter 20 camas disponíveis, ao invés das actuais oito, o que representa “um investimento superior a três milhões de euros” em obras que “devem ficar concluídas até ao final do ano”.

O presidente da concelhia do PSD de Viseu lembra que, “já em Março deste ano, a ministra da Saúde tinha avançado que a expansão do número de camas de cuidados intensivos estava concluída ou em curso em 21 hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

No entender de João Paulo Gouveia, o que foi anunciado na segunda-feira “e de imediato replicado pelo candidato do PS, é um verdadeiro insulto aos viseenses”.

  • “EM POLÍTICA NÃO PODE VALER TUDO”

Gouveia acrescenta que o presidente do conselho de administração do CHTV “tem agido como um comissário político do PS”.

“Há dias foi o anúncio do centro de oncologia, que continua sem sair do papel. Hoje é a divulgação de uma notícia que já tem meses. Com a agravante de que a obra, que já devia estar concluída, só será concretizada no final do ano”, aponta este responsável, que defende que, “em política, não pode valer tudo e os viseenses não são parvos”.

“A única coisa que me lembro de o candidato do PS ter feito relativamente a Viseu foi ter votado contra, na Assembleia da República, o projecto do centro de oncologia, apresentado como uma prioridade pelos deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral de Viseu”, acusa João Paulo Gouveia.

No comunicado de imprensa divulgado na segunda-feira pelo CHTV, o presidente do conselho de administração, Nuno Duarte, explica que se trata de “obras essenciais para melhorar o acesso da população aos cuidados de saúde”, mas que só agora vão começar devido à necessidade que houve de garantir uma resposta à pandemia de covid-19.

“Portugal está abaixo da média europeia em número de camas de medicina intensiva. Com este projecto estamos a criar as condições necessárias para responder às necessidades dos utentes”, justifica.

Para além do aumento do número de camas, esta intervenção dotará o Serviço de Medicina Intensiva de “uma maior capacidade no tratamento dos doentes com doença aguda, através da dotação de melhores equipamentos”, acrescenta o CHTV.