NOVA TRAGÉDIA EM TONDELA

Torneio de sueca acaba em tragédia na associação de Vila Nova da Rainha

Incêndio causa pânico durante torneio de sueca, onde algumas vítimas morreram esmagadas. Presidente da República esteve hoje no local da tragédia

Oito pessoas morreram e 38 ficaram feridas na noite deste sábado num incêndio que deflagrou numa associação recreativa de Vila Nova da Rainha, em Tondela, durante um torneio de sueca. Entre os feridos mais graves está um menor com 15 anos.

Dos 38 feridos, 29 continuam internados, sendo que, destes, pelo menos quatro correm risco de vida. No Hospital de Viseu continuam internadas 13 pessoas, duas das quais ventiladas na Unidade de Cuidados Intensivos. Desta unidade hospitalar saíram 16 pessoas, segundo o diretor clínico do Hospital de Viseu, Cílio Correia.

Cinco foram para o Hospital Univeritário de Coimbra, dois foram para o Hospital de Santo António, no Porto, três para o São João, também na Invicta, dois para o Santa Maria, em Lisboa, dois para o São Francisco Xavier, também na capital, e um para o Hospital da Prelada.

Dois dos feridos foram heli-transportados para o Hospital de Santa Maria com queimaduras. São ambos do sexo masculino, um tem cerca de 60 anos, sendo que o outro, apesar de não ter identificação com ele, aparenta ter 40. O homem mais novo está no bloco operatório com uma situação clínica muito grave.

Já o Hospital da Estefânia, em Lisboa, recebeu o jovem de 15 anos durante a madrugada. A maioria dos ferimentos das vítimas são queimaduras nos braços, face e tronco, confirma o Diretor Clínico do Hospital de Viseu.

Os corpos das vítimas mortais foram retirados do interior da associação durante a madrugada deste domingo e transportados para a morgue para serem autopsiados.

Explosão de caldeira lançou pânico em sala onde estavam 70 pessoas

Na Associação Cultural Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, estavam cerca de 70 pessoas. Decorria um torneio de sueca no andar de cima; no piso de baixo, dezenas de pessoas viam na televisão o jogo Sp. Braga-Benfica.

A explosão de uma salamandra, por volta das 20h40, pegou fogo ao teto falso do edifício e provocou o pânico generalizado, com as pessoas que estavam nos dois pisos da associação a correrem para a porta principal. Várias pessoas ficaram esmagadas e terá sido esta a causa dos ferimentos mais graves. Contudo há também vários casos de pessoas que sofreram queimaduras graves.

Vi fumo a sair do edifício e parti uma janela para entrar. Vi um amontoado de pessoas a tentar fugir. Na fuga, atropelaram-se uns aos outros e vi um monte de pessoas na escadaria. Algumas não se mexiam“, conta uma testemunha à CMTV.

O CM apurou que, durante as operações de socorro, o sistema SIRESP, que deveria por em contato direto as várias forças de segurança e de socorro, voltou a falhar. No pico da emergência, as comunicações via rádio deixaram de funcionar, tendo sido respostas num momento posterior.

Psicólogos no terreno para apoiar familiares

O secretário de Estado adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, disse que no local está “uma unidade de psicólogos que está a dar apoio aos familiares e irá articular-se quer com a Proteção Civil, quer com a autarquia, neste momento e nos próximos dias“, de forma a haver “uma resposta adequada para os familiares“. Lembrando que a região de Tondela foi muito afetada, no ano passado, pelos incêndios florestais, o responsável lamentou esta “nova catástrofe”.

Temos que ter a capacidade de darmos o apoio necessário para conseguir ultrapassar também esta fase de luto“, frisou.

Há muitas vítimas a serem atendidas, algumas já transportadas para os hospitais. São várias dezenas de feridos. Felizmente, os meios foram acionados rapidamente, mas isto é quase uma situação de catástrofe“, descreveu José António Jesus, presidente da Câmara de Tondela na noite de sábado.

De acordo com José António Jesus, a explosão ocorreu numa associação recreativa, que tem umas instalações com dois pisos.

Há muitos feridos com queimaduras e outros com problemas decorrentes do fumo“, concluiu.