TRAGÉDIA DOS INCÊNDIOS MOSTRA “CINZAS” na Assembleia da República

A Assembleia da República acolhe, desde a última quarta-feira, dia 12 de Dezembro, a exposição “Cinzas”, onde o categorizado fotógrafo, Miguel Valle de Figueiredo, mostra a horripilante e absurda devastação, deixada pelos incêndios de Outubro de 2017, no concelho de Tondela e não só.

Na sessão de abertura, o presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António de Jesus, considerou que esta mostra “é um hino à resistência das pessoas, à sua capacidade de lutar contra a adversidade e de reconstruir o futuro”.

Estratégia contra a regeneração invasora

O chefe do executivo tondelense, aproveitou para salientar que é muito importante tomar medidas e acautelar o futuro, para que uma tragédia semelhante à de Outubro do ano passado, não volte a acontecer.

E, para tanto, impunha-se, quanto a si, “uma política de ordenamento florestal”, que, naturalmente, necessita de ser melhorada a vários níveis.

 

Diz mesmo, que se “impõe-se uma estratégia adequada, sob pena da regeneração invasora trazer um potencial risco num prazo menor do que podemos pensar”. 

Esta analogia do presidente, vem na sequência da regeneração das sementes que, caídas durante o incêndio, estão a transformar os espaços florestais em autênticos eucaliptais, que mais parecem viveiros a crescer como trigo ou centeio e que, rapidamente, deverão ser exterminados por qualquer meio, incluindo a sua arranca, sob pena de termos aí, a curto prazo, novas tragédias, ainda de consequências mais gravosas. 

Uma forma de preservar a memória

Em representação do presidente da Assembleia da República, marcou presença a vice-presidente, Teresa Caeiro, que apontou que esta mostra “é uma forma de preservar a memória” e manter a solidariedade.
“É a memória fotográfica de uma das maiores tragédias do país, com fotos de grande qualidade, impressivas, são impressionantes. Esta exposição no Parlamento representa o respeito dos deputados para com interior do país”, referiu.
A fechar, o fotógrafo Miguel Valle de Figueiredo, agradeceu a oportunidade de expor nos próximos dias na Assembleia da República.

NOTAS DE REPORTAGEM

Na casa da democracia, avistámos vários deputados bem conhecidos e estivemos à conversa com Hélder Amaral (CDS), Conceição Cristas (CDS), António Leitão Amaro (PSD), Berta Cabral (PSD), o presidente da Casa do Concelho de Tondela, Elísio Chaves e os primos José Braz, antigo presidente da Assembleia Municipal de Tondela e seu primo António, respectivamente, filhos dos comendadores Eduardo e António Braz, grandes portugueses na África do Sul e beneméritos de Tondela.

Note-se que Berta Cabral, presidente do Município de Ponta Delgada, foi a anfitriã do grupo de deputados, do Município de Tondela, com o então presidente Carlos Marta, vereadores e convidados, entre eles, os jornalistas, na célebre visita à ilha de S. Miguel, naquela encantadora região autónoma dos Açores.

Já de noite, no regresso à nossa Beira, o jantar, magnífico, no típico Restaurante “O FUSO”, na vila de Arruda dos Vinhos, com o sabor de Tondela, através do excelente “Sr. Bacalhau”, da firma Rui Costa e Sousa & Irmão.

O gerente do maravilhoso espaço recriado de um velho lagar de azeite, é o sr. Delfim de Jesus Marques, natural de Ferreirós (Tondela) que, carinhosamente, deu a degustar aquela especialidade gastronómica da casa, regada com o bom azeite português e os melhores vinhos da região que avizinha com Lisboa.

Os convivas, chegaram à conclusão de que uma casa como aquela, está a fazer falta na nova cidade de Tondela.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »