QUEIMA E REBENTAMENTO DO JUDAS – espectáculo grandioso em Tondela!!

Milhares de pessoas tiveram a oportunidade de assistir ao espectáculo soberbo da queima e rebentamento do Judas, antes da meia-noite deste último sábado da Páscoa, dia 31 de Março, com lugar no espaço exterior do Pavilhão Desportivo Municipal, onde foram homenageados os Soldados da Paz.

Talvez umas 5 mil ou 6.000 pessoas testemunharam, através da esconjuração do mal, a qualidade do trabalho do Trigo Limpo teatro ACERT, que contou com a participação de mais de 300 alunos das escolas de toda a região e de vários pontos do país, além de outros voluntários que, durante uma semana, trabalharam na Fábrica da Queima.

Somos de opinião de que, nunca, até agora, se assistiu a espectáculo da queima do Judas, tão impressionante, gigantesco e maravilhoso, tão participado, tão interactivo, com a grandiosa mole humana que acorreu àquele “tribunal popular” de condenação daquela figura sinistra e de todas as figuras sinistras que causam a dor, o sofrimento e a morte a tantos inocentes de uma Terra povoada por ladrões, corruptos e assassinos e que, tantas vezes, detêm um poder que jamais deveriam ter.

O tema principal foi o mesmo fogo que, em 2017, destruiu avassaladoramente, pessoas e bens e devastou a paisagem da região e que serviu de mote para que artistas e comunidade, juntos, tivessem queimado uma figura gigantesca representativa de tudo o que nos oprime e, festivamente, expurgassem todos os males, numa lavagem de alma única e transformadora, como foi vaticinado pela organização.

Uma das acusações, foi o lembrar de que as Águas do Planalto, vendem a água em Tondela “ao preço do petróleo”, o que arrancaria grandiosa salva de palmas e que, no caso do fogo e da devastação provocada, todos são culpados.

Para a ACERT, este Judas foi também “um tributo aos soldados da paz e um sinal de respeito pela memória de todos os que nos continuarão sempre a ser queridos”.

De referir que, o dinheiro recolhido durante o peditório, reverteu para a Associação dos Bombeiros Voluntários de Tondela, que, no final, tiveram direito a uma sentida homenagem com toda a gente de pé a aplaudi-los.

Foi a apoteose !!

CONTRIBUTOS DE MUITA GENTE

Nesta queima e rebentamento do Judas, a direcção artística e da montagem, pertenceu ao actor e encenador, Pompeu José, com dramaturgia e encenação colectiva da ACERT.

As vozes, foram de Cláudia Castro, Francisca Silva, José Rui Martins, Luís Vieira, Rute Castro, Susana Alves, Teresa Gomes e Tiago Sami Pereira, a quem foi confiada a direcção musical.

O evento contou com a participação especial da Filarmónica Tondelense, através dos músicos executantes de flautas, clarinetes, saxofones, trompetes, trompas, trombones, bombardinos, tubas e percussão.

O espectáculo é sempre enriquecido com a magnífica prestação da Pirotecnia do Dão, de Lajeosa do Dão.

O Município, o Agrupamento de Escolas de Tondela Cândido de Figueiredo, entre outras entidades privadas, deram também o seu apoio para que, no final, tudo se constituísse num monumental sucesso, que deve honrar a ACERT e orgulhar todos os tondelenses.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »