PLANALTO BEIRÃO COM AMBIENTE SUSTENTÁVEL ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS

A Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB), a que estão associados 19 municípios de entre o Caramulo e a Estrela, continua a inovar e tudo fazer para, cada vez mais, implementar medidas que levem à sustentabilidade do ambiente, através da separação de resíduos sólidos urbanos, reciclando em escalas nunca vistas.

Para dar a conhecer ao grande público o ponto da situação da reciclagem de resíduos na área da associação e dos novos projectos de sensibilização de acções concretas no terreno, a administração da AMRPB reuniu com os órgãos da comunicação social da região, na tarde do dia 9 de Março, junto às suas instalações sociais, no Borralhal, em Barreiro de Besteiros, concelho de Tondela, onde funciona a recolha e tratamento dos resíduos.

José Portela explica aos jornalistas

Na apresentação do projecto, estiveram os presidentes das Câmaras Municipais de Tábua, Tondela, Mortágua, Santa Comba Dão e Carregal do Sal, nas pessoas, respectivamente, de Mário Loureiro, José António de Jesus, José Júlio norte, Leonel Gouveia e Rogério Abrantes, com José Portela, na qualidade de secretário executivo, a dar as explicações necessárias aos jornalistas sobre o imenso sucesso que é, actualmente, a reciclagem, transformando o velho e o que “não presta”, em novos produtos, absolutamente reutilizados para novas funções.

Segundo José Portela, em 2020, cada habitante do planalto beirão, separou um total de 39 kg de resíduos recicláveis de papel/cartão, plástico/metal e vidro, num valor que representa um aumento de 7 kg por habitante por comparação com o ano anterior.

  • MUNICÍPIOS DO PLANALTO BEIRÃO SEPARARAM 12.844 TONELADAS DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS
Conselho Administração AMRPB

Os 19 municípios, no total, separaram 12.844 toneladas de resíduos recicláveis, o equivalente a um aumento de 22% face a 2019, foram mais 2.264 toneladas. Desde 2014, a separação de resíduos recicláveis na região quase duplicou mais 79%.

Olhando aos valores nacionais, o Planalto Beirão, apresenta um desempenho extremamente positivo, uma vez que a taxa de crescimento global, no país, se fica pelos 13%, como sustentou o secretário executivo.

Para os dirigentes da AMRPB, o ambiente é uma preocupação cada vez mais incisiva na protecção da vida sustentável à face da terra e, para tanto, urge sensibilizar a população para a prevenção da produção de resíduos e sua recolha selectiva, numa adequada educação ambiental, sob o lema “Ideia com Futuro – Reciclar no Planalto Beirão”.

O projecto visa incentivar as pessoas à separação dos resíduos recicláveis e valorizáveis, como papel/cartão, plástico/metal e vidro, garantindo a sua transformação em matéria prima para novos produtos, evitando que sejam depositados em aterro, como referiu a técnica que deu visão ao projecto.

Essa separação é fundamental para a conservação dos recursos naturais e protecção do meio ambiente, na melhoria da qualidade de vida das gentes do Planalto Beirão. Nesse sentido, serão desenvolvidas diversas acções que têm como destinatários a comunidade em geral e a população escolar, além dos operadores do comércio e serviços.

  • CEM MIL MINIECOPONTOS ENTREGUES DE PORTA A PORTA

Deverão ser distribuídos porta a porta 100.000 miniecopontos para separação doméstica dos resíduos recicláveis, permitindo a possibilidade de forma natural separar em suas casas os resíduos urbanos.

Uma viatura itinerante de sensibilização, apetrechada com diversas plataformas multimédia e conteúdos interactivos sobre a Economia Circular, irá percorrer as ruas dos 19 municípios do Planalto Beirão, ao longo de 18 meses, sobretudo para a população escolar, que pode interagir com as potencialidades positivas, para o meio ambiente e para a qualidade de vida.

Também a componente solidária está neste projecto, pois tem em vista a vertente social. Assim, a campanha “Separar para Ajudar” tem como objectivo que cada tonelada de resíduos separada, que represente um aumento face  aos valores de 2014, será convertida em benefícios sociais para instituições de solidariedade social da região, unindo, desta forma, dois principais pilares da sustentabilidade: o aproveitamento dos resíduos como recursos e o desenvolvimento social.

  • TEMPO DE PANDEMIA NÃO OBSTOU À SEPARAÇÃO DE RESÍDUOS

Por seu turno, o Presidente da Administração da AMRPB, Mário Loureiro, destacou que “estes dados revelam que, mesmo num ano fortemente marcado pela pandemia associada à Covid-19, os comportamentos de separação dos resíduos, continuaram a ser uma das preocupações dos cidadãos da região do Planalto Beirão”.

Para este dirigente, foi possível, “com estes resultados”, concluir que “o investimento realizado nos últimos anos, ao nível das redes de ecopontos e de meios de recolha, foram uma opção acertada, que assegurará a sustentabilidade do sistema de gestão de resíduos do Planalto Beirão, a longo prazo”.

Entre 2017 e 2020, foram instalados mais de 1.796 novos ecopontos, dos quais 503 no último ano, como referiu Mário Loureiro, a um tempo, Presidente do Município de Tábua.

A sessão acabou por ser encerrada pelo Presidente do Município de Tondela, na qualidade de anfitrião, que destacou o trabalho realizado pela AMRPB, nas boas práticas de execução do financiamento do POSEUR, Portugal 2020, com uma taxa de execução de 90% em 2020.

José António de Jesus falou ainda da importância da campanha de sensibilização, porque, segundo ele, “só com trabalho em conjunto se pode construir um futuro melhor”.

MUNICÍPIOS AGREGADOS

Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Gouveia, Mangualde, Mortágua, Nelas, Oliveira de Frades, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, S. Pedro do Sul, Sátão, Seia, Tábua, Tondela (sede e aterro), Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela.