CIDADE COM EMOÇÕES FORTES

A ascensão do Clube Desportivo de Tondela à I Liga do futebol profissional do país, militando entre os “grandes” de sempre e aqueles que, como ele, lutam pela permanência, trouxe à cidade de todos nós, um movimento inusitado.

Esse movimento, num território que prospera de forma sustentada, é bem mais notório quando, ao antigo Campo do Pereiro – hoje Estádio João Cardoso – vêm jogar o Sporting, o Porto ou o Benfica, ou mesmo o Braga e Guimarães, pois também eles querem ser “grandes”.

Nos dias de futebol com esses tais “grandes”, a casa enche-se e a moldura humana embeleza e de que maneira, o remoçado Estádio, uma testemunha viva de um tempo de tantas tardes de glória do clube mais representativo do concelho de Tondela e, agora, de toda a região.

Nas ruas envolventes ao Estádio, à falta de um parque próprio, são milhares os automóveis que ocupam avenidas e outras artérias, até a muitas centenas de metros do “epicentro” do prélio em disputa, onde se desfraldam bandeiras e cachecóis dos clubes envolvidos.

No acesso ao Estádio, normalmente na Avenida (nova) das Comunidades, acantonam-se as carrinhas de vendedores ambulantes de bebidas e produtos alimentares, para além de camisolas e cachecóis, havendo variados petiscos, onde não faltam as farturas, as bifanas e até o porco no espeto, como foi caso do jogo Tondela-Sporting, que a equipa da casa venceu, merecidamente, por 2-1, mesmo a jogar com 10 elementos.

Para além da presença de um “batalhão” de jornalistas de órgãos da comunicação social, imprensa, rádio e televisão, no fundo, todos os jornais, rádios e tevês do país, um forte contingente policial, vindo de várias cidades do centro e norte, na prevenção de qualquer incidente entre as claques dos grupos que se defrontam.

Depois os golos, os lances mais polémicos, o ruído, ensurdecedor, dos apoiantes das equipas, completam o quadro das emoções que sempre rodeiam estas pugnas desportivas, ao mais alto nível do futebol português.

Neste transe, a cidade é falada e badalada em todo o país e estrangeiro, pelos bons e, também, pelos maus resultados, sendo os bons, aqueles que mais orgulham todos os tondelenses. Nunca Tondela foi tão falada.

Envolvendo tudo isto, nota-se, com amargura, que a cidade não vê, em grande parte, o retorno de tanta emoção e movimento de gentes de todo o lado, ao nível da restauração e hotelaria.

QUEM GANHA É VISEU  (!?)

Como muito bem disse um deputado na Assembleia Municipal de Tondela, numa das últimas sessões daquele órgão, a cidade pouco ganha com tão grande “montra” a nível nacional e internacional.

Isto, porque lhe faltam bons restaurantes e hotéis e outros locais de diversão, estes, localizados na capital do Distrito. É lá que se instalam, com armas e bagagens, as equipas de futebol que, durante uma longa época, demandam o Estádio do Clube Desportivo de Tondela.

Ora, isto não deveria ser assim, faltando, naturalmente, que os grandes empresários vejam em Tondela um local ideal para instalarem os seus negócios, mormente na restauração e hotelaria, onde não sejam esquecidas pensões e residenciais, que já teve no passado, dotadas de todas as comodidades do nosso tempo.

Como já se disse, em tardes ou noites de jogos grandes, as emoções, na cidade, são muitas que, afinal, imensas cidades do país não têm, porque não são representadas por um dos seus clubes na I Liga do futebol profissional, onde o Clube Desportivo de Tondela ascendeu, com todo o mérito e tudo irá fazer para nela continuar.

MAIS E MELHOR CIDADE

Depois de todo este arrazoado, urge olhar para um cada vez melhor visual citadino, na questão do mobiliário urbano, na limpeza dos espaços, nos sinais luminosos, na iluminação das ruas e monumentos, na toponímia e na sinalética horizontal e vertical.    

Como nota curiosa, a informação de que, em Tondela, nesse jogo com o Sporting, estavam “olheiros” de vários clubes, nomeadamente do Desportivo das Aves, do Desportivo de Chaves, do Widzew Lodz, do Bordéus e do Friburgo. Tudo isto é movimento, tudo isto é história e emoção.

Louvemos aqueles que, com eficiência, estão à frente dos destinos do Clube Desportivo de Tondela, um clube que, desde que nasceu dos Tondela Futebol Clube, já no longínquo ano de 1925 e Operário Atlético Clube, nunca deixou de estar em plena actividade, movimentando, hoje, centenas de atletas do futebol profissional e da formação, nomeadamente, em seniores, juniores, juvenis e iniciados, todos a disputar provas nacionais e ocupam vários relvados da cidade e que, afinal, não são suficientes.

E, talvez por isso, venha a caminho, nos subúrbios, a “Cidade Desportiva”, a pouco mais de um quilómetro do centro da cidade. É esperar para ver…

ZÉ BEIRÃO

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Traduzir »