RONDA PELO CONCELHO (1)

RONDA PELO CONCELHO

Por ZÉ BEIRÃO

É incontestável o número de obras que o Município de Tondela vai prodigalizando um pouco por todo o concelho, não só na cidade, mas também nas vilas e freguesias, desde o Vale à Serra do Caramulo, de que se tem dado o devido e justo relevo.

Outras vão sendo anunciadas, em Tondela, em Canas de Santa Maria, em Lajeosa do Dão, em Campo de Besteiros, em Molelos e na Vila do Caramulo, além de várias outras, em múltiplos sectores da vida social. São muitos milhões de euros, com os quais nada se produzia se estivessem guardados em qualquer conta bancária dos organismos oficiais, a nível local e central.

A par deste desiderato desta “região de bem-estar”, digno de nota, outros anúncios vão tornar-se em realidade, a nível privado, com um forte contributo na criação de emprego, como sejam uma nova fábrica de produtos alimentares na ZIM do Lajedo, em Santiago de Besteiros, onde vão ser investidos sete milhões de euros e a nova unidade de cuidados continuados, da Casa de Saúde São Mateus, na cidade, onde vão ser investidos oito milhões de euros.

  • S. JOÃO DO MONTE

Não obstante esta panóplia de bens a enriquecer o vasto Concelho de Tondela, para onde o Município tem sabido canalizar o forte investimento privado que vai tendo, persistem, ainda, algumas situações menos felizes, que urge procurar antídoto, capaz de levar um pouco mais de bem-estar e de felicidade ao nosso povo, aquele que sempre espera dos poderes públicos, uma melhor atenção para os problemas com que se debate.

Neste caso, está a actual vila de S. João do Monte, a tal que, como Santa Maria de Canas, Sabugosa, S. Miguel do Outeiro, Mouraz, Molelos e Guardão, também já foi concelho e que, na categoria de vila, já viu perder a Extensão de Saúde, a Farmácia, o Posto de Enfermagem e o Posto de Recolha de Sangue, tudo coisas que têm a ver com a saúde do nosso povo. Só agora, foi criado um serviço no Centro Paroquial para marcação de consultas, o que, convém dizer, não é a mesma coisa do que a existência de um médico efectivo e respectivo serviço de enfermagem.

Sobre a Extensão de Saúde, foi colocado um aviso à porta da Extensão de Saúde do Caramulo, a informar que “por enquanto, o atendimento dos utentes de S. João do Monte, continuará a ser feito no Caramulo”. O aviso, na parede, tem a data de 20/12/2017.

A Casa do Povo, localizada na casa que foi do célebre Dr. José Júlio César, tem estado desactivada e, nesta medida, a vila ficou mais pobre. Contudo, no campo assistencial, saliente-se a acção da actual IPSS, localizada no Centro Paroquial, que presta apoio domiciliário à população idosa e, brevemente, com a abertura do CAL – Centro de Animação Local, com o apoio da Câmara Municipal de Tondela e da Junta de Freguesia.

No que toca às lojas do cidadão, S. João do Monte será a única vila do concelho, que não vai dispor desse serviço essencial junto da sua população, porquanto, o Município, em 2015, no seu Boletim Oficial n.º 2, se referiu à criação de lojas em todas as vilas do concelho, menos ali, a freguesia mais distante da sede do Concelho.

Por enquanto, de algumas promessas, também vivem os serranos da vila de S. João do Monte, como foi o caso da requalificação da Estrada Nacional, agora Estrada Regional 230, dentro da vila, que aguarda a colocação de passeios para os peões e a respectiva iluminação condigna, à semelhança do que têm as outras vilas.

Noutros aspectos as pessoas que a nossa reportagem ouviu – e já o fazemos há, pelo menos, 50 anos – desejam uma intervenção geral, com alargamento e asfaltagem da Estrada Municipal S. João do Monte, Vale do Lobo que, há 40 anos, levou a primeira camada de alcatrão. Já foi prometido há quatro anos e este ano também. Há lugares, onde os carros não podem cruzar-se sem que se encostem bem ao lado e parem.

Desta situação anómala, à mistura com matagais, buracos e remendos, esperam resolução os moradores da Rua do Bairro dos Pereiros, numa via que dá acesso a vários concelhos e freguesias e encontra as divisões dos distritos de Viseu e de Aveiro, atingindo a União de Freguesias de S. João do Monte e Mosteirinho, União de Freguesias de Arca e Varzielas e União de Freguesias de Préstimo e Macieira de Alcoba.

A estrada serve, então, três freguesias, três concelhos e dois distritos. Portanto, é justo que seja posto fim ao anacronismo desta estrada municipal que, ainda, envergonha a vila de S. João do Monte.

Não a envergonha, certamente, os “paraísos” que lá existem, como a praia fluvial do paraíso, na vila, enquadrada por duas pontes bem antigas, que lhe dão ancianidade, como acontece com a bela e vetusta Igreja de S. João, além de outros paraísos, ainda por descobrir, como a praia fluvial do Teixo, as muitas dezenas de alminhas espalhadas por todas as estradas da vasta freguesia, que vai do Caramulinho às terras de Macieira de Alcoba e de Castanheira do Vouga.

Outros monumentos de grande interesse público, poderemos encontrar na área deste antigo concelho, como a Ponte das Cales, as capelas húngaras do Teixo e da vila, a refrescante mata, doada pela família do Almirante Armando Júlio de Reboredo e Silva, um dos filhos de José Júlio César, a fonte de chafurdo, as sepulturas antropomórficas de Valdasna, o santuário da Senhora do Livramento, onde o Ermitão se refugiou por desgosto de amor, entre tantos outros locais dignos do turista e dos estudiosos.

Na mesma União de Freguesias de S. João do Monte, está agregada, ainda, a antiquíssima Freguesia de Mosteirinho, também ela a contas com a falta de dimensão de algumas estradas, como é o caso da estrada de Malhapão de Baixo à Frágua e à própria sede da extinta autarquia, onde, também, duas viaturas não se cruzam sem pararem.

  • GUARDÃO

Por outro lado, já vai dando sinais de grande empreendimento do Município e da Freguesia do Guardão, a requalificação e alargamento da Estrada Municipal entre o Cadraço e Jueus, passando por Laceiras e Pedrógão. Trata-se de um grande melhoramento para as gentes destes lugares, batidos pelos ventos alcobeses.

Tem sido uma odisseia o corte das penedias que a serra deixa ver ao longo da via. O trabalho da empresa adjudicatária, do nosso Concelho, tem sido notável e, muito brevemente, toda a estrada até Jueus, ficará com a dimensão desejada, esperando, a breve trecho, o seu asfaltamento competente e, naturalmente, que uma segunda fase, possa dar por concluída a requalificação de toda a estrada até Malhapão de Cima.

São aldeias serranas, aldeias típicas, muito visitadas pelo fluxo turístico que demanda à Serra do Caramulo, onde existem alojamentos locais, restaurantes e empreendimento hoteleiro, que tem a sua maior ocupação em meses de veraneio.  

Combater a desertificação, é melhorar as condições de vida daquelas povoações mais distantes da cidade e do mais pleno desenvolvimento por que passa actualmente e que se espera possa continuar no futuro, pois nem tudo está feito.

De notar, que é sempre motivo de muita satisfação, alguém que, da cidade, visite estas aldeias serranas, cujas conversas, naturalmente, deixam perceber o quanto as pessoas sofrem com um olhar menos atento das nossas autarquias.

NOTA: Artigo em elaboração. Faltam mais algumas fotografias